EU, O TEMPO E A ETERNIDADE

EU, O TEMPO E A ETERNIDADE

Vivemos dias corridos. Mal paramos para olhar pra dentro da gente e quando isso acontece parece esquisito. Mal sabemos que o que vivemos interiormente reflete nosso mundo exterior. Deveríamos cuidar com mais afinco de nosso pensamentos do que de nossos trajes, certamente assim teríamos uma mente mais saudável e desta maneira mais capacitados para dominar as situações corriqueiras. Por que ainda não vencemos aquele urso? O que falta pra me sentir realmente bem e em paz?
Bom, perguntas que só se podem responder olhando pra dentro.
O tempo é precioso, mas correr também pode levar a lugar nenhum. O negócio é saber pra onde se está indo, um foco, um alvo, um propósito!
Se meu alvo é Cristo, por que estou parado no urso ainda? Que as coisas desta terra não me tirem a visão, seja problemas ou suas resoluções.
Dentro de nós tem um motivo maior de existência, uma voz que clama. Consegue parar pra ouvir?
A questão não é sobre como fazer, também não é sobre o porquê fazer, mas sobre saber e conhecer nossa real identidade como filhos para então estarmos aptos a toda boa obra, para finalmente manifestar o Reino dos céus.
Porque se eu me perco me encontro Nele.
Se eu me escondo Ele me acha e se não sei quem sou, Ele me diz que sou filha e amada.
E é isso que importa.

Um turbilhão de coisas, são só coisas. O que ecoa dentro? Eternidade.

PÂMELA WÜRZ